Nos anos 40 estava fortemente implantada uma modalidade desportiva, muito praticada na altura por grupos de amigos que se reuniam nas horas livres que dispunham, o jogo da malha ou chinquilho.

Deste grupo de amigos faziam parte Manuel Martins, Manuel Barreira, José Saloio, Santarém, António Diogo, António da Preta, António Milheiro, Chico Moita, Calos Costa, Serafim, António Bicas, José Grilo, João da Costa, Caiado, Passarinho, António Inácio, entre outros.

Corre o ano de 41 e os jogos do Chinquilho fazem-se na taberna do Serafim, situada na rua 35, hoje Rua Luís de Camões. Depois de serem criadas as condições indispensáveis para a prática da modalidade, chegou a altura de pensar em legalizar o grupo desportivo como associação. Para isso foi elaborado, por João Luís, o primeiro registo de associados, num livro de mercearia e taberna, onde constou pela primeira vez os que viriam a ser os fundadores do clube Manuel Martins, Manuel Barreiras, António Milheiro, Chico Moita, Calos Costa, David Sousa Gago, entre outros.

Posteriormente, entre os anos 44 e 45, houve necessidade de fazer mudanças desta taberna para outros locais, acabando finalmente por se instalar no terreno da Tio Boleira. Foi nestas instalações que, pela primeira vez, foi formada uma comissão, composta por Amadeu da Silva Valente, Virgílio Manuel, João luís, João Pedro Nogueira, Manuel Barreira, Manuel Joaquim Ramos (Balecas), António Mendes Semião, entre outros. Esta equipa ficou encarregue da gestão corrente da associação, bem como de fazer a elaboração daqueles que viriam a ser os primeiros estatutos da colectividade.

É de salientar ainda, que para mobilizar a população para a divulgação da colectividade, eram efectuados na rua, espectáculos de saltimbancos. Na associação para ver o teatro de marionetas e alguns bailes, era necessário para além do bilhete que os espectadores levassem o seu próprio banco ou cadeira para sua melhor comodidade.

Após a elaboração dos estatutos e reconhecida a fundação do clube na data de 11/05/1949, depois de serem entregues ao RECTO (Autoridade Máxima do Concelho) para serem examinados e enviados ao Governador Civil para aprovação oficial a 05/03/1951.

O Chinquilho era agora uma realidade, tinha a sua importância e começava a ter também acrescidas responsabilidades de carácter social e desportivo. Começou assim a ser equacionada a possibilidade da compra de uma sede própria, surgiu então a ideia daquela que viria a ser a esplanada da colectividade, comprada com empréstimo a pagar com juros à Velha Matilde.

Corria a década de 50 e naturalmente a colectividade foi crescendo em termos culturais, desportivos e recreativos. Investiu então na compra de um velho motor-gerador de carrossel que foi reparado pelo engenhoso Eduardo Martins, os espectáculos nocturnos eram agora uma realidade, com a maior aderência da massa associativa e da população.

A arte dramática teve também por esta altura forte implantação, tendo passado por esta casa bons artistas amadores e encenadores, o que marcou a década de 60 como a época de ouro do teatro infantil do clube. A sua esplanada e a sala de Inverno proporcionavam aos seus associados todo o conforto e bem-estar.

Com a necessidade do clube responder (como acontecia noutras colectividades dos arredores) à oferta e à procura de novas actividades desportivas e culturais para os sócios, o clube verificou que estava na altura de aumentar a sua sede social. Para dar resposta às necessidades dos seus associados que aumentavam cada vez mais, e como o dinheiro era pouco para concretização desse objectivo, foi decidido em assembleia-geral, vender a esplanada do inicio dos anos 80, bem como um terreno situado na Rua Fernando Pessoa que no inicio dos anos 90 era propriedade do clube, para fazer face aos custos de uma sede nova. Assim em 06/12/1987 foi inaugurada a construção da primeira fase composta pelo salão do rés-do-chão e Bar. A actual sede ficou completa em 11/05/1994, no dia do 45º aniversário do clube. Com o final das obras deu-se o arranque das novas actividades desportivas e culturais. Actualmente passam pelas várias modalidades, mais de uma centena de alunos e atletas.

Da nossa parte procuramos estimular o crescimento e desenvolvimento das actividades desportivas e culturais dignificando a massa associativa, pois consideramos o associativismo um pilar fundamental na nossa sociedade.
Actualmente temos ao dispor da população banheirense as seguintes modalidade desportivas e culturais: A.T.L. e pré escola, Ginástica infantil, Ginástica localizada, Step, Pilates, Spinning, Karaté, Kickboxing, Danças de salão, Dança do ventre, Ballet, Hip-Hop, Aerogym.
Aos que iniciaram e terminaram o nosso querido Chinquilho, agradecemos os ensinamentos que recebemos, porque tiveram um papel importante na nossa magnífica sede social, uma obra que todos nós nos orgulhamos.

Jamais os esqueceremos
Bem haja.

Morada: Rua António Sérgio Nº 56 - 58, 2835 Baixa da Banheira
Telefone: 212 040 516
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Website: www.ochinquilho.pt